A CHAVE PARA O MILAGRE

Ouvindo isto, admirou-se Jesus, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel achei fé como esta”. (Mt 8:10)

O que levou Jesus a expressar sua admiração a um homem que ocupava a posição de capitão do exército romano? Jesus não só destacou-o, como atendeu ao seu pedido curando o servo daquele homem.

Gostaríamos de destacar 3 aspectos importantes do encontro que o centurião romano teve com Jesus, desencadeando assim, o milagre.

O primeiro destaque que queremos chamar a sua atenção está no fato de que o centurião mostrou-se respeitoso e rogou, implorando pela cura do seu criado. O que podemos ressaltar é que o centurião reconheceu a autoridade de Jesus e respeitosamente tratou-o com reverencia, em honra, acatando sua autoridade. Essa atitude agradou a Jesus, o que podemos concluir que o temor, a honra, o respeito à autoridade, precedem a petição. Isso é algo do qual devemos nos lembrar sempre!

No Evangelho de Lucas 7, temos a mesma passagem, que nos conta que o centurião pediu ajuda a alguns judeus para que intercedessem diante de Jesus, pela sua petição e que Jesus foi com eles em direção da casa do centurião, já no Evangelho de Mateus temos a narração desse encontro, em que o próprio centurião se apresenta pessoalmente e pede pela cura.

Senhor, o meu criado jaz em casa de cama, paralitico, sofrendo horrivelmente”.

O centurião demonstrou compaixão pelo sofrimento do servo e não pediu nada além do que a sua cura, ao que Jesus lhe disse: “Eu irei curá-lo”.

A petição foi atendida prontamente, desencadeando o milagre na vida daquele servo.

Em segundo lugar, podemos destacar que o centurião romano mostrou-se humilde diante do Senhor quando disse: “Senhor, não sou digno de que entres em minha casa;…

A humildade de coração, também agrada ao Senhor e podemos dizer que também é um fator imprescindível que antecede à petição.

Em terceiro lugar, o centurião demonstrou que tinha fé suficiente para pedir a cura imediata.

…mas apenas manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado”.

Em outra ocasião, um outro homem, chamado Pedro, discípulo de Jesus, ao vê-lo vindo e andando sobre as águas (MT.14), disse:

Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo por sobre as águas. E ele disse: Vem”.

Pedro desceu do barco andou por sobre as águas ao encontro de Jesus, mas ao soprar do vento, ele teve medo e começou a afundar e clamou: “Salva-me, Senhor”. Prontamente Jesus estendeu a mão, tomou-o e lhe disse:

Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento”.

Em ambos os casos, uma só palavra da boca de Jesus foi suficiente para que provassem do poder sobrenatural e vissem o impossível acontecer. Jesus ficou admirado afirmando que nem mesmo em Israel, encontrou uma fé como a do centurião!

Quando o centurião disse “… mas apenas manda com uma palavra”…acrescentou em seguida:

Pois, também eu sou sujeito à autoridade, tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz”.

Este homem tinha anos de disciplina militar, sabia e respondia aos princípios de autoridade, fôra treinado e instruído respeitando as hierarquias da qual se submetia. Era acostumado a receber ordens e a obedecer, era acostumado a dar ordens e ser obedecido. A palavra disciplina vem do latim e significa: instrução, treinamento. Instrução no hebraico significa correção, que acompanha recompensa ou punição, servindo como direção para guiar o povo no caminho.

A palavra discípulo (aprendiz) está relacionada à disciplina (treinamento, instrução, correção), ser disciplinado é corrigir as áreas da nossa vida que estão fora de ordem, que prejudicam a nós mesmos e na convivência com os outros. Podemos dizer que a vida cristã é uma disciplina, onde o povo se reúne, desfrutam da companhia uns dos outros, fazem a obra, acatam a autoridade, etc.

O centurião também estava acostumado à prontidão e à vigilância, convivia com os companheiros igualmente habilitados, era amigo dos judeus e amava Israel, era caridoso e cria no poder sobrenatural do Deus de Israel e a Jesus como mensageiro do Reino.

Quem era Jesus? A autoridade e o Filho de Deus. Quem era o centurião? A autoridade de Roma. Quem são os lideres? A autoridade da igreja. Quem são os Pastores? As autoridades e mensageiros de Deus, Quem é o marido? A autoridade e líder da família. Quem é a esposa? A autoridade e auxiliadora do seu marido. Quem são os filhos? A herança de Deus na terra. Quem sãos os professores? A autoridade para ensinar. Quem é o patrão? A autoridade no trabalho; e assim por diante.

Onde está o respeito? A honra? O reconhecimento? A humildade para pedir? A fé? A um passo do milagre!

Provoque a admiração de Jesus!

No Amor de Cristo,

3 Responses to “A CHAVE PARA O MILAGRE”

  • joel disse:

    Obrigado JESUS por essa mensagem,pois a fé que esse centurião demonstrou foi algo sobrenatural. Primeiro ele reconheceu que estava diante de uma autoridade, e que essa autoridade mandando uma simples palavra era o suficiente para que o seu servo fosse curado, e, isto mostra que quando estivermos diante de JESUS para lhe pedir algo, temos que saber que estamos diante da maior de todas as autoridade,e merece todo o respeito e admiração de nossa parte, aí sim veremos o milagre acontecer.

    Obrigado JESUS…

  • MARISMALDO A PEDRO disse:

    Pereceria, sem duvida, se não cresse…; que palavra maravilhosa e rica em detalhes.O centurião entrou no mundo de Deus, ser elogiado por Jesus que honra desse homem. Obrigado, sou grato pela sua vida e por esse ministério abençoado. Deus seja louvado pela vida de vocês Apostolos.

  • Valter Francisco dos Santos disse:

    Reconhecer a autoridade de Jesus gera fé que gera milagres através de uma só palavra.Que Deus traga a existencia todos os seus sonhos apóstolos.

Leave a Reply